Fabricação e venda de peças e acessórios para carga e descarga de caminhões-tanque

Mercosul negocia área de livre comércio com o Canadá, diz governo

Um dia depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, confirmar a sobretaxa para a importação de aço e alumínio, o governo brasileiro anunciou nesta sexta-feira (9) que o Mercosul deu início à negociação de uma área de livre comércio com o Canadá.
 
A informação foi divulgada pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). De acordo com a pasta, representantes do países que compõem o Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai), além do Canadá, participam de uma reunião nesta sexta, em Assunção, para discutir o acordo.
 
Pelo lado do Brasil, os ministros Marcos Jorge de Lima (MDIC) e Aloysio Nunes (Relações Exteriores) participam da cerimônica, que marcará o lançamento das negociações. Ainda de acordo com o MDIC, a primeira rodada de negociações está marcada para meados de março, em Ottawa, no Canadá.
 
Sobretaxa prejudica o Brasil
 
Na noite desta quinta (8), o presidente americano, Donald Trump, anunciou a criação de novas taxas para a importação de aço e alumínio ao país. O país cobrará uma sobretaxa de 25% para o aço importado e de 10% para o alumínio. A medida vale para o aço que entrar nos EUA a partir de 23 de março.
 
A medida atinge diretamente o Brasil, segundo maior exportador de aço para os EUA. As vendas para o país representam um terço das exportações brasileiras do produto.
 
Após o anúncio, o Instituto Aço Brasil, que representa as siderúrgicas nacionais, afirmou que a medida causa “”dano significativo”” às empresas brasileiras e em que deverá entrar imediatamente com recurso nos EUA.
Autoridades do governo brasileiro também se manifestaram contra a medida de Trump. Os ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e Marcos Jorge, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços disseram, em comunicado conjunto, que a decisão de Trump trará “”graves prejuízos”” às exportações brasileiras.
 
Abertura comercial
 
Na nota divulgada pelo MDIC nesta sexta, o ministro Marcos Jorge afirma que um acordo de livre comércio com o Canadá demonstra o quanto o Mercosul vem trabalhando para uma maior abertura comercial.
 
“”O Canadá é um importante e exigente mercado consumidor. Em 2017, o fluxo comercial entre Brasil e Canadá foi de cerca de US$ 4,5 bilhões, com um superávit para o Brasil de pouco mais de US$ 950 milhões.
 
Esperamos aumento expressivo e a diversificação da nossa pauta exportadora que hoje é bastante concentrada””, disse ele.
 
O ministro ressaltou que Mercosul e o Canadá negociam um “”acordo amplo”” que envolve temas como o comércio de bens, serviços, compras governamentais, pequenas e médias empresas, barreiras não tarifárias e propriedade intelectual. E que a decisão ressalta a determinação do Brasil para uma maior abertura comercial.
 
“”Enquanto alguns atores internacionais se fecham, o Brasil e os sócios do Mercosul têm demonstrado que é fundamental a integração dos nossos mercados às cadeias globais de valor. A negociação de novos acordos, como este com o Canadá, é um importante caminho””, concluiu.
 
O governo brasileiro também vem negociando com a Zona do Euro um acordo de livre comércio, processo que se arrasta há mais de 15 anos. Recentemente, os negociadores informaram que vão continuar a tentar, em 2018, chegar a um acordo de livre-comércio, após as reuniões em Buenos Aires.
 

Categorias

Treinamentos
Produtos MGN
Notícias
Na estrada
Kit Reparo
Institucional
Dicas MGN
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Assine nossa newsletter

Receba novidades e informações sobre serviços e produtos.

Alerta de cookies

Otimizamos a sua experiência durante a navegação em nosso site através do uso de cookies, que permitem fornecer funcionalidades como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade, além de aperfeiçoar a experiência do usuário por meio de vários recursos, como reconhecimento de idioma e resultados de pesquisa.
Nosso site também pode usar cookies de terceiros para enviar a publicidade mais relevante para você.
Ao continuar a navegação, entendemos que você está de acordo com referido procedimento.
Para mais informações acesse nossa Política de Privacidade.